Carregando...
Atos 3:19 - Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor, e envie ele a Jesus Cristo, que já dantes vos foi pregado. O qual convém que o céu contenha até aos tempos da restauração de tudo, dos quais Deus falou pela boca de todos os seus santos profetas, desde o princípio.

Igrejas que Militam na Obra em Restauração

Participe de nossos cultos. Encontre uma Congregação mais próxima de você.

Carregando ...

Artigo - O uso de jóias, adornos, pinturas, vestes inadequadas, etc...

O uso de jóias, adornos, pinturas, vestes inadequadas, etc...

Distinguindo-se em tudo das mulheres profanas, tendo modéstias em seus trajes, deixando seus cabelos longos, não pintando suas faces e tão pouco usando artifícios, ourives ou bijuterias.

Publicado em 29/06/2015 - 3802 Visualizações - 4 comentários

O uso de jóias, adornos, pinturas, vestes inadequadas, etc...

Fomos chamados para fazermos a diferença.

Somos "o sal da terra" e "a luz do mundo" e, para isto, Jesus tem exigido santificação de sua Igreja.

Principalmente nossas irmãs têm feito esta diferença através da maneira de proceder na sociedade.

Distinguindo-se em tudo das mulheres profanas, tendo modéstias em seus trajes, deixando seus cabelos longos, não pintando suas faces e tão pouco usando artifícios, ourives ou bijuterias. 

Mas como explicar tais condutas se o uso de jóias e pinturas tem sido defendido por muitos indivíduos e comunidades religiosas?

Talvez esta indiferença se deva, em grande parte, ao desejo de não incomodar grupos e pessoas.

Essa não é a postura bíblica ou a orientação profética recebida pela Igreja. O assunto é importante e envolve mais do que as opiniões de um grupo em particular.

A relação jóias e apostasia é freqüente na Bíblia. Vejamos: 

1 – Em Ezequiel 23:38-43 – Relata simbolicamente, o povo de Deus como duas mulheres profanas, idolatras, chamaram amantes e por eles pintaram os olhos e colocaram enfeites; os beberrões do deserto lhes deram braceletes e diademas e elas adulteraram.

2 – Em Isaías 3:16 a 26 –Descreve as mulheres do tempo de Isaías tais quais eram: vãs, arrogantes, altivas, orgulhosas, mais interessadas em si mesmas do que no Senhor ou nas necessidades dos que estavam ao redor. O capítulo é dedicado a advertir a apostasia de Judá e Jerusalém. É evidente a ligação simbólica dos adornos vãos com a apostasia. O Senhor iria ferir o ponto mais forte do pecado.

3 – Oséias 2:13 – Deus diz a origem dos enfeites para o seu povo apóstata: “Pendentes de Baal e suas gargantilhas”.

4 – II Reis 9:30 – Jezabel, a apóstata, pintou os olhos e se adornou para seduzir.

 5 – Em Gênesis 35: 1 a 5 – Encontramos um exemplo literal de como o abandono dos enfeites e da idolatria se relaciona com a reconsagração a Deus. A atitude dos filhos de Jacó deixando os ídolos e argolas é explicada em Patriarcas e Profetas Decidiu (Jacó) que antes de ir a esse lugar sagrado (Betel) sua casa deveria estar livre da contaminação da idolatria: "(...) seus filhos também foram tocados por um poder que os constrangia; (...) então deram a Jacó todos os deuses estranhos, que tinham em suas mãos e as arrecadas que estavam em suas orelhas..."

Portanto, indubitavelmente criam que a eliminação dos deuses estranhos e de todos os adornos perturbadores era necessária, se Deus havia de ser sinceramente adorado.

6 – I Timóteo 2:9-10 – Faz recomendação direta de modéstia e simplicidade: “Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestido preciosos, mas (como convém às mulheres que fazem profissão de servir a Deus) com boas obras.”

Portanto, a fuga do plano ideal de Deus no que tange ao adorno exterior tem sido, para muitos, motivada pela franca rejeição dos ensinos de Jesus em Sua Palavra.

O apóstolo Pedro (I Pedro 3:1-5) diz que o comportamento simples das mulheres cristãs concorre para a conversão de maridos descrentes. O apóstolo prossegue com clareza:  “O enfeite delas não seja o exterior, no frisado dos cabelos, no uso de jóias de ouro, na compostura de vestidos.” (verso 3)

Paulo fala de pudor (I Tim. 2:9, 10) uma referência às roupas decentes, advertências, aliás, muito apropriada para as roupas curtas, justas, transparentes e decotadas que muitas organizações consentem como normal.

Como seremos a luz do mundo se não formos cristãos apena de nome? Sejamos, pois, cristãos, não meramente em nome, mas também no vestuário e na conversação. Fiquemos satisfeitos com o trajar-se modestamente, não com tufos e penas e enfeites desnecessários.
A igreja primitiva também mantinha essa posição de modéstia evitando jóias e pinturas, como demonstrado pelas referências bíblicas.
Jovens em restauração, nossa disposição para vestir-vos conforme a moda, usando, para satisfazer a vaidade, ouro e coisas artificiais, não recomenda aos outros a religião nem a verdade que professais.

As pessoas discretas considerarão nosso desejo de nos enfeitarmos como prova de possuímos mente débil e coração vaidoso.  Se a habitação do Espírito santo é importante para nós, cultivaremos o ornamento de um espírito manso, em lugar de ornamentos de ouro e prata (jóias) brincos, pulseiras, colares e outras criações humanas, cujo propósito é atrair atenção para o eu e não para Cristo. ”

O testemunho cristão é parte integrante da vida espiritual e qualquer jóia ou pintura, ou qualquer outra coisa que dê aparência do mal ou cause escândalo precisa ser evitado pelos que, sem reservas, querem servir a Deus. (I Ts, 5:22 e Rm, 14:13, 21). 

Jessé Caleb A. Sanches
jessecalebsanches@yahoo.com.br

Obra em Restauração

Ibitinga - SP

Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento. - Provérbios 3:5

Deixe seu comentário

Preencha os campos abaixo para comentar

Digite seu nome
Digite seu e-mail
Digite seu comentário
Igrejas que Militam na Obra em Restauração 2019 - Todos os Direitos Reservados