Carregando...
Atos 3:19 - Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor, e envie ele a Jesus Cristo, que já dantes vos foi pregado. O qual convém que o céu contenha até aos tempos da restauração de tudo, dos quais Deus falou pela boca de todos os seus santos profetas, desde o princípio.

Igrejas que Militam na Obra em Restauração

Participe de nossos cultos. Encontre uma Congregação mais próxima de você.

Carregando ...

Artigo - "buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça...", como entender?

"buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça...", como entender?

Do que se trata esta instrução bíblica? O que Jesus disse de fato?

Publicado em 28/03/2019 - 901 Visualizações - 2 comentários
Entender as instruções de Nosso Senhor Jesus Cristo nunca foi uma tarefa fácil, e muitas vezes a falta de entendimento faz com que pessoas cometam erros que acabam afetando muito suas vidas e até a de outras pessoas.
 
O propósito deste estudo é tentar explicar a instrução  "buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça" feita por Jesus.

Como entender para podermos obedecer a instrução Bíblica  "buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça"?
 
No Livro de Mateus, no capítulo 6, do versículo 31  ao 34, Jesus da seguinte instrução aos seu discípulos:
Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos?
Porque todas estas coisas os gentios procuram. Decerto vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas;
Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.
Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal.
 
Quem nunca ouviu falar ou já leu o texto acima e muitas vezes ficou confuso quanto a sua interpretação?
O texto acima é usado como argumento para muitos que não tem disposição para trabalhar e garantir o próprio sustento, e alguns até querendo se passar por pessoas espirituais, alegam não se preocupar com a vida material, pois tudo ficará por aqui.
 
Vamos à alguns esclarecimentos: 
A parte do texto que diz: "buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça" Não tem nenhuma relação com deixar de trabalhar para ficar orando, do contrário este texto entraria em conflito com os textos abaixo:
 
O apóstolo Paulo em 2 Tessalonicenses 3:8 disse:
Nem de graça comemos o pão de homem algum, mas com trabalho e fadiga, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós.
 
O apóstolo Paulo em 1 Tessalonicenses 2:9 também disse:
Porque bem vos lembrais, irmãos, do nosso trabalho e fadiga; pois, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós, vos pregamos o evangelho de Deus.
 
E em 2 Tessalonicenses 3:10-12, o apóstolo Paulo também disse:
Porque, quando ainda estávamos convosco, vos mandamos isto, que, se alguém não quiser trabalhar, não coma também.
Porquanto ouvimos que alguns entre vós andam desordenadamente, não trabalhando, antes fazendo coisas vãs.
A esses tais, porém, mandamos, e exortamos por nosso Senhor Jesus Cristo, que, trabalhando com sossego, comam o seu próprio pão.
 
Em resumo, os textos acima dizem que quem come, precisa trabalhar para ser digno(merecedor) do seu alimento.
Quando observamos a vida de Daniel podemos entender quão grande é a necessidade de estar sempre ligado a Deus, e mesmo com todas as suas ocupações, trabalhando, tomando conta de muitas províncias, nunca estava descuidado, deixando o Reino de Deus em segundo plano. Ele orava  três vezes ao dia, e mesmo quando correu risco de morte não abriu mão de sua fé, e manteve firme o seu profundo relacinamento com Deus. Nem mesmo o trabalho é capaz de nos afastar do Nosso Senhor Jesus, pois os verdadeiros adoradores devem adorá-lo em espírito e em verdade.
 
Nós entenderemos melhor o significado do texto:  "buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça", no texto abaixo no qual Jesus também instrui seus discípulos a respeito de como devemos orar e nos portar em relação ao Reino de Deus. 

Vejamos o que foi dito por Jesus no livro de Lucas no capítulo 11 do versículo 1 ao 4:
E aconteceu que, estando ele a orar num certo lugar, quando acabou, lhe disse um dos seus discípulos: Senhor, ensina-nos a orar, como também João ensinou aos seus discípulos. E ele lhes disse: Quando orardes, dizei: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; seja feita a tua vontade, assim na terra, como no céu. Dá-nos cada dia o nosso pão cotidiano; E perdoa-nos os nossos pecados, pois também nós perdoamos a qualquer que nos deve, e não nos conduzas à tentação, mas livra-nos do mal.
 
É bem sabido que esta oração, conhecida como a oração do "Pai Nosso", não se trata de palavras que devemos ficar repetindo todas vezes que vamos orar, mas sim uma forma de sabermos com quem estamos falando, e qual deve ser nossa postura diante dele.
 
Tentarei explicar de forma mais objetiva o entendimento da forma que Jesus ensinou a orar.
 
Ele inicia a instrução com as palavras "Pai nosso, que estás nos céus", isso nos ensina que quando entrarmos na presença do Senhor, precisamos reconhecer que estamos diante daquele que é Pai e que está no céu, ou seja, em um nível superior,  e que causou a existência não somente a minha, mas a de todos nós, e sendo assim, devo me apresentar em humilhação, reconhecendo sua superioridade, e não apenas com a minha causa, mas também com a necessidade de outras pessoas, dos quais Deus também é Pai, para que ele possa agir em meu favor, e também socorrer outros em suas necessidades, ou seja precisamos orar uns pelos outros, pois se trata de uma oração feita no plural, pensando também na coletividade. 
 
Quando é dito "santificado seja o teu nome", é para que saibamos que Jesus, o Deus conosco, não é apenas um nome, mas um nome Santo, pois se trata do nome de Deus, nome acima de todos os nomes, conforme consta em Filipenses 2:9, e é por este e outros motivos que não devemos tomar no nome de Jesus em vão.
 
Na parte que diz "venha o teu reino; seja feita a tua vontade, assim na terra, como no céu.", a intenção é nos impulsionar a querer trazer o reino de Deus aqui para terra, onde devemos coloca-lo como Deus, Senhor e Rei acima de tudo e de todos, e nós como seus servos, fazendo prevalecer a vontade dele aqui na terra, assim como é no céu, pois no céu todos os seus anjos o adoram e obedecem o tempo todo, sem questionamentos, ao contrário do que nós fazemos quase sempre. 
 
Nas palavras: "Dá-nos cada dia o nosso pão cotidiano;", é uma formar de nos dizer que tudo vem dele, para que haja em nós o reconhecimento de que todos os dias ele é o Senhor que nos garante o alimento, mesmo que venha através de nossos esforços no trabalho, pois quando analisamos atentamente, percebemos que tudo vem de Deus, e que não temos mérito algum,  pois ele mesmo disse: "Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer." João 15:5
 
No texto onde fala "E perdoa-nos os nossos pecados, pois também nós perdoamos a qualquer que nos deve", é para que saibamos que antes de pedir ou desejar perdão da parte de Deus, precisamos perdoar uns aos outros, pois o tempo todo cometemos pecados contra nosso Senhor e erros contra nossos semelhantes, e se quisermos perdão é necessário também praticarmos o ato de perdoar.
 
Desta forma, podemos afirmar categoricamente que a parte do texto que diz "Dá-nos cada dia o nosso pão cotidiano;",  também não tem relação com deixar de trabalhar e ficar esperando a comida vir à boca. Vemos por exemplo que mesmo com o maná caindo do Céu, o povo precisava colher, juntar o alimento de cada dia, resumindo, precisavam ter o trabalho de colher a porção diária, ou seja, nunca esperar em Deus teve relação com o ócio, com não ser necessário trabalhar, muito pelo contrário, pois alguém que não trabalha, alegando ser espiritual, acaba sendo motivo de vergonha para o corpo da Igreja, pois com certeza está sendo pesado para alguém, e ao invés de atrair pessoas para o reino de Deus, para o evangelho, as impedem de chegar devido ao mal exemplo. 
 
Orar faz parte da busca pelo reino, mas ficar apenas orando não, pois ao orarmos fazemos agradecimentos, pedimos orientação e depois saímos para a prática do que o Senhor nos ordena em resposta às nossas orações.
Houve um momento em que Moisés foi repreendido por Deus, por apenas ficarem clamando (Orando) e deixarem de caminharem rumo à terra prometida, veja o texto: "Então disse o Senhor a Moisés: Por que clamas a mim? Dize aos filhos de Israel que marchem." Êxodo 14:15.
 
Mas o que é "buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça" então?
Este texto não significa que não podemos ou não devemos trabalhar ou fazer reservas dos frutos de nosso trabalho, inclusive isto é sinal de prudência. Só não devemos tornar as nossas reservas em nossos tesouros, pois  onde está nosso tesouro, aí está nosso coração. Se fizermos como fez o salmista, o qual disse: "Quem tenho eu no céu senão a ti? e na terra não há quem eu deseje além de ti."  Salmos 73:25, agindo desta maneira o nosso coração estará guardado no Senhor Jesus.
Vemos por exemplo José no Egito, por orientação da parte de Deus, após ser colocado como governador, fazendo reservas para poderem ter suprimento e conseguirem suportar os sete anos de escassez que viriam sobre a terra. Nunca foi errado trabalhar e fazer reservas. O erro que muitos cometem é ignorar a fonte de tudo, ou seja, desconhecer que é Deus que garante toda provisão e tem o controle de tudo em suas mãos. A falha é não dar a honra, a glória, o louvor à Deus, que sempre nos tem suprido em tudo.
 
Buscar primeiro o reino de Deus, significa assumir a condição de servo, colocando Deus como o primeiro acima de todas as prioridades, agindo como quem fazem de tudo para agradar ao seu Senhor(Dono), não tendo vontade própria, negando a si mesmo, e sempre estando  debaixo da obediência e autoridade de Deus, reconhecendo-o como Rei e Senhor, que tem todo domínio sobre nós e sobre tudo. Priorizar o Reino de Deus é sempre estar rendidos à vontade dele, obedecendo e agindo com submissão onde quer que estejamos, seja no trabalho, na escola e qualquer outro lugar,  nos portando como cidadãos do céu, como alguém que representa o Rei do reis, e que faz parte do reino celestial. 
 
No livro de Gênesis no capítulo 26, Deus orienta Isaque à ficar em Gerar, mesmo tendo vindo uma grande fome sobre terra, maior do que a que aconteceu nos tempos de Abraão.
Vejamos o texto: "E havia fome na terra, além da primeira fome, que foi nos dias de Abraão; por isso foi Isaque a Abimeleque, rei dos filisteus, em Gerar. E apareceu-lhe o Senhor, e disse: Não desças ao Egito; habita na terra que eu te disser; Peregrina nesta terra, e serei contigo, e te abençoarei; porque a ti e à tua descendência darei todas estas terras, e confirmarei o juramento que tenho jurado a Abraão teu pai; E multiplicarei a tua descendência como as estrelas dos céus, e darei à tua descendência todas estas terras; e por meio dela serão benditas todas as nações da terra; Porquanto Abraão obedeceu à minha voz, e guardou o meu mandado, os meus preceitos, os meus estatutos, e as minhas leis. Assim habitou Isaque em Gerar." Gênesis 26:1-6. 
 
Uma pergunta para estimular nosso raciocínio. Como Isaque conseguiria permanecer vivo juntamente com seus criados e família na terra mesmo com a escassez?
Minha certeza  é que no mínimo Isaque tinha reservas de alimento, para ele e todos os seus criados poderem suportar o mal tempo que veio.
Creio que fazer reservas era uma prática desde àquela época, e as pessoas prudentes sempre o fizeram, pois foi apenas depois de um tempo que Isaque plantou e colheu, e foi recompensado por obedecer à Deus, por coloca-lo acima de tudo, acima de todas as prioridades. Observemos o texto: "E semeou Isaque naquela mesma terra, e colheu naquele mesmo ano cem medidas, porque o Senhor o abençoava. E engrandeceu-se o homem, e ia enriquecendo-se, até que se tornou mui poderoso. E tinha possessão de ovelhas, e possessão de vacas, e muita gente de serviço, de maneira que os filisteus o invejavam." Gênesis 26:12-14. 
 
Conclusão:
Se buscarmos primeiro o reino de Deus e sua justiça, como fizeram nossos irmãos do passado, seguindo exemplos de Abraão, Isaque, Jacó, José e tantos outros, crendo que nosso Deus tem cuidado de nós, trabalhando, agindo prudentemente. Não há sombra de dúvidas de que seremos supridos de tudo o que precisarmos, em todas as áreas da vida. De fato, nada adianta andarmos inquietos, ficarmos preocupados com comida, bebida, ou vestes e tantas outras coisas. O que precisamos é crer no Senhor, e agir  como servos obedientes, e ele nos fará mais do que vencedores.  

Deixe seu comentário

Preencha os campos abaixo para comentar

Digite seu nome
Digite seu e-mail
Digite seu comentário
Igrejas que Militam na Obra em Restauração 2019 - Todos os Direitos Reservados