Carregando...
Atos 3:19 - Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor, e envie ele a Jesus Cristo, que já dantes vos foi pregado. O qual convém que o céu contenha até aos tempos da restauração de tudo, dos quais Deus falou pela boca de todos os seus santos profetas, desde o princípio.

Igrejas que Militam na Obra em Restauração

Participe de nossos cultos. Encontre uma Congregação mais próxima de você.

Carregando ...

Artigo - Reforma Protestante X Restauração da Igreja

Reforma Protestante X Restauração da Igreja

Este estudo tem como objetivo mostrar o quanto a cegueira espiritual tem deixado as pessoas cada vez mais distantes das verdades bíblicas, pelo fato de atenderem e seguirem a voz de estranhos, lobos em pele de cordeiros. Muitos são os teólogos e mestres que com suas teorias meramente humanas, estão contribuindo mais e mais para o declínio das instituições religiosas. Teorias estas, nas quais embasam suas reformas, suas adequações, e sem qualquer escrúpulo, vão ladeira a baixo, na contramão do propósito de Deus, que é restaurar a sua Igreja.

Publicado em 18/10/2020 - 1320 Visualizações -

Reforma Protestante X Restauração da Igreja. Existe uma diferença gritante entre ambas, veja em que se sustentam a maioria dos autoproclamados cristãos.

Objetivo:

Este estudo tem como objetivo mostrar o quanto a cegueira espiritual tem deixado as pessoas cada vez mais distantes das verdades bíblicas, pelo fato de atenderem e seguirem a voz de estranhos, lobos em pele de cordeiros.
Muitos são os teólogos e mestres que com suas teorias meramente humanas, estão contribuindo mais e mais para o declínio das instituições religiosas. Teorias estas, nas quais embasam suas reformas, suas adequações, e sem qualquer escrúpulo, vão ladeira a baixo, na contramão do propósito de Deus, que é restaurar a sua Igreja. Estes lobos, sem qualquer compromisso com a verdade, corrompem ainda mais os corações dos que se autodenominam cristãos, aqueles também conhecidos como cristãos ou crentes nominais, porque negam com suas obras, a fé que dizem ter em Jesus Cristo.
Quanto aos servos do Senhor Jesus, a Igreja, sua noiva, na contramão do mundo religioso e de sua apostasia, levanta a bandeira para tornar notório que vivemos o tempo da restauração de todas as coisas, perseverando nas doutrinas dos apóstolos.

Texto base: Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor, E envie ele a Jesus Cristo, que já dantes vos foi pregado. O qual convém que o céu contenha até aos tempos da restauração de tudo, dos quais Deus falou pela boca de todos os seus santos profetas, desde o princípio. Porque Moisés disse aos pais: O Senhor vosso Deus levantará de entre vossos irmãos um profeta semelhante a mim; a ele ouvireis em tudo quanto vos disser. E acontecerá que toda a alma que não escutar esse profeta será exterminada dentre o povo. Sim, e todos os profetas, desde Samuel, todos quantos depois falaram, também predisseram estes dias. Atos 3:19-24.

Fato histórico:
Reforma Protestante.

No dia 31 de outubro de 2017 pessoas de todo o mundo comemoraram os 500 anos da chamada Reforma Protestante.
Veja abaixo um texto extraído de uma publicação feita em um site de notícias:

(Em 31 de outubro de 1517, o alemão Martinho Lutero, ex-monge católico, apresentou 95 teses ou propostas de mudanças na Igreja. O reformismo de Lutero acabou criando o Protestantismo, com seguidores espalhados pelo mundo. “Martin Lutero levou o homem a pensar na sua pequenez diante das coisas e ao mesmo tempo da grandiosidade como ser criado por Deus e Deus é o centro de todas as coisas para nós”, afirma o reverendo Roberto Brasileiro, presidente do concílio da Igreja Presbiteriana. Um dos lugares mais importantes e significativos para os protestantes brasileiros é onde hoje é a Ilha de Vilegnhol. Foi lá, onde funciona a escola Naval do Rio, onde aconteceu o primeiro culto protestante no Brasil em 1557. E ele ficou eternizado por um memorial).

Considerações importantes sobre esta reforma:

  • A reforma iniciada por Lutero não quebrou todos os vínculos com os ensinamentos difundidos por outras reformas acontecidas anteriormente, nem tampouco com as próprias invenções do catolicismo, como por exemplo a cobrança de indulgências, a doutrina da trindade que tem como adeptos a maioria dos "evangélicos" dos tempos atuais, entre outros.
    Foi nas reformas que ocorreram antes de Lutero, onde começou a ser disseminada a afirmação da existência de três deuses distintos, mas um em unidade, com o mesmo propósito sendo: “deus pai, deus filho e deus espírito santo”, uma doutrina bem estranha, diga-se de passagem, tal afirmação nunca esteve em conformidade com a Palavra de Deus.
    A reforma mais conhecida pelo mundo religioso antes de Lutero, foi realizada  no ano 325 DC, pela simples falta de aceitação de que Jesus era e é o Único e Verdadeiro Deus e a vida eterna. Esta verdade lhes parecia confusa, porque muitos não aceitavam, assim como hoje também um grande número de "religiosos" continuam não aceitando as verdades bíblicas,  preferindo se manter em uma mentira que lhes parece mais aceitável.
    No ano 325 DC houve então a organização do primeiro concílio de Niceia, feita pelo Imperador Romano Constantino, um pagão que tinha como deus, o sol. Mas viu esta reforma como sendo a forma de unir a religião e a política, visando interesses pessoais. Seu maior objetivo, assim como todos os políticos, foi a aceitação e apoio do povo em relação a sua autoridade política e religiosa, o que outrora ele não possuía. Esta foi uma estratégia usada por Constantino, já que matar os verdadeiros cristãos não estava dando resultado, pois quanto mais morriam pessoas por honrar o Nome de Jesus, mais ainda aumentava o número de salvos, multiplicando desta maneira a quantidade de pessoas dispostas a morrer por este Nome Glorioso.
  • Apesar de Lutero ter iniciado esse movimento nomeado de protestantismo, ainda assim se manteve em crenças criadas pelo catolicismo, e todas elas sem nenhum embasamento bíblico.
  • A chamada reforma protestante iniciada por Lutero para foi sim um marco importante, por trazer à tona as barbaridades praticadas pela igreja católica e também por levar o povo a refletir sobre questões como a forma que era visto o trabalho, a conquista na liberdade religiosa, a separação de estado e igreja, o avanço na educação com o ensino público, e muito mais. No entanto ainda com a reforma o povo se manteve muito longe das verdades bíblicas, visto que não foi destacada a necessidade de se permanecer na Palavra de Deus, obedecendo todas as verdadeiras doutrinas deixadas por Nosso Jesus aos seus apóstolos.
  • A maioria das denominações que tem surgido a partir do protestantismo, tem levado consigo muita bagagem do que foi inventado pelo catolicismo, como a trindade já citada, o batismo não sendo em Nome de Jesus, as mulheres não usarem o véu para orar e profetizar, celebração da "ceia" de qualquer maneira, exposição do corpo, entre outros. A postura das denominações pós reforma foi demonstrada desde o início, assim como muitas nos dias de hoje tem deixado claro haver um tremendo desrespeito com todas as doutrinas apostólicas, permanecendo na apostasia, longe da verdade.
  • As “evangelizações” e cruzadas em massa que ocorreram e ainda ocorrem pelo mundo afora, impulsionadas pelo movimento da reforma iniciada a mais de 500 anos, na verdade foram e tem sido em determinadas situações mais um desserviço do que um serviço prestado a Deus. Por vezes fazem mais a propagação de doutrinas de homens, assim como a trindade, a crença em três deuses, e tantas outras invenções do paganismo, voltadas para idolatria mesmo que de forma disfarçada, não focando em Jesus como sendo o Único Deus verdadeiro, que se fez carne e veio a este mundo.
    Não é destacada a necessidade de uma real e total transformação, de abandono do pecado e restauração e batismo no Único Nome que salva, Jesus.
    Não se atentam aos ensinos de Jesus Cristo, insistindo em deturpar a Palavra de Deus, com ensinos que estão longe de ser a sã doutrina deixada por Nosso Senhor. Na verdade, são formas de difusão da apostasia por anunciadores da porta larga, onde não há compromisso com as verdades Bíblicas e que levará muitos para o lago de fogo e enxofre.


Existe uma imensa diferença entre Reforma e Restauração.

Sobre Reforma:

1). Nas reformas não há preocupação em manter os aspectos originais, e sempre é quebrado, destruído ou mudado o que for necessário para atingir o objetivo de passar uma ideia de que se trata de algo atual, novo, contemporâneo, sem qualquer relação com o que era antes e causava alguma incomodarão.

2). As reformas sempre surgem com o pensamento da necessidade de romper com o passado, com a ideia de precisar de fazer mudanças no que é considerado antiquado, ultrapassado e que precisa dar uma nova visão, uma forma mais atualizada, enfim algo modernizado.

3). As reformas em sua maioria são feitas com o propósito de agradar e ganhar aceitação das pessoas, daquelas que repudiam o que consideram coisas do passado, que para elas não acompanharam a “evolução” do mundo.

4). As reformas são consideradas bem-sucedidas quando o observador que conhecia o monumento, ou a obra antes das mudanças, não é levado ao passado, ao se deparar com o que foi reformado, ou seja, quando o mesmo não consegue se lembrar como era antes de ter seus aspectos alterados, aquilo que passou por tal processo.

5). Nunca deveria ser cogitada a realização de reformas ou adequações nas questões relacionadas a obediência da Bíblia, pois tais ações  fez com que o homem fosse levado para bem longe do plano de salvação do Senhor Jesus.

Exemplo:
Já observou ou fez reforma numa casa?

Bem este exemplo pode ser aplicado a qualquer coisa que passa por reformas. Na reforma de uma casa, uma vez tendo definido como ficará após o processo, as ferramentas inicialmente mais utilizadas são a marreta e o martelo. Ao chegar a equipe responsável pela obra, logo já vai quebrando as paredes, e arranca-se as portas estreitas e abrem-se passagens ainda maiores, sem qualquer preocupação com a destruição necessária para fazer o que foi proposto.
Em via de regra, as reformas em casas ocorrem geralmente para mudar aspectos visuais, e com isso troca-se pisos, muda-se as cores das paredes, cores do teto, aplica-se texturas, coloca-se papel de parede, fazem ajustes na iluminação para destacar e se adequar a reforma realizada.

Infelizmente as reformas tem sido feitas a revelia nos assuntos relacionados ao evangelho, e consequentemente afastado o homem do propósito de Deus, que é a restauração da sua Igreja. 

Existe algum problema em fazer reformas?

  • Reforma em coisas feitas por homens para homens:
    Quando a questão é mudar, reformar algo que foi criado pelo homem e para o homem, é óbvio que não existe problema nenhum, pois nós fazemos isso sempre, o tempo todo, até porque muitas vezes nem sempre o que homem faz agrada a si mesmo, e quando a preocupação é satisfação dos outros, nem sempre acontece. Por se tratar de algo feito para um autocontentamento, pode ser reformado, mudado, pintado quebrado o quanto se julgar necessário.

  • Reforma em algo que Deus criou aos homens para agradar a si mesmo:
    Nem neste caso devemos ter uma postura bem diferente, principalmente quando tratar-se de questões espirituais, relacionadas a salvação. No que se refere às coisas terrenas, vemos na criação que tudo que foi criado por Deus era bom e muito bom, e isso não apenas para si, pois vemos que a maior preocupação de Deus foi criar um ambiente agradável para nos colocar aqui, e ainda assim ele nos deu a terra para que pudéssemos cultivá-la, transforma-la, obviamente com responsabilidade.
    A liberdade concedida por Deus referente à coisas terrenas, não foi estendida para os assuntos relacionados a salvação. Neste ponto Deus é inflexível, e a opção que é deixada aos seus filhos é única e bem simples: obedecer. Deus criou as leis e as instituiu com um propósito espiritual, não nos é permitindo alterar, adequar, reformar nem tampouco “melhorar”. Tudo isso por um motivo bem simples, nós somos limitados e não entendemos quais seriam os impactos caso optássemos por querer interferir no que foi instituído por Deus.

    Tentar adaptar as ordens de Deus pode trazer consequências terríveis:
    Lendo a Palavra de Deus no livro de 1 Samuel 15, vemos que em certo momento é dada uma ordem ao rei Saul, mas o mesmo não cumpriu, e decidiu adaptar a ordem que lhe foi dada. Tal atitude de Saul causou a fúria de Deus, tendo como consequência a perda do seu reinado, pois Nosso Senhor viu que Davi tinha uma postura totalmente diferente e que andaria segundo os seus conselhos, e o colocou como substituto de Saul. À Saul foi dito: “Porém Samuel disse: Tem porventura o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à palavra do Senhor? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros. Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e o porfiar é como iniqüidade e idolatria. Porquanto tu rejeitaste a palavra do Senhor, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei. 1 Samuel 15:22,23”.

    As ordenanças deixadas por Deus nunca precisaram de adaptações para que alcançarem os objetivos dele:
    É como está escrito, e por este texto vemos o que cabe ao homem fazer: “Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno os seus pensamentos, e se converta ao Senhor, que se compadecerá dele; torne para o nosso Deus, porque grandioso é em perdoar. Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor. Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos. Porque, assim como desce a chuva e a neve dos céus, e para lá não tornam, mas regam a terra, e a fazem produzir, e brotar, e dar semente ao semeador, e pão ao que come, assim será a minha palavra, que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia, antes fará o que me apraz, e prosperará naquilo para que a enviei. Isaías 55:7-11”.

    O surgimento da Graça não foi uma reforma das ordenanças de Deus:
    A leis e ordenanças deixadas por Deus nunca foram mudadas, nem reformadas, porque ele não erra, nós vemos por exemplo ele cumprindo a lei em si mesmo, quando veio a este mundo em forma humana. A Graça que nos foi concedida pelo Senhor Jesus não foi uma reforma ou adaptação das ordenanças, mas sim um favor que ele nos deu, porque sabemos que a lei apenas apontava o pecado e serviu de aio (guia) até Jesus Cristo.
    Conforme dito pelo apóstolo Paulo: “Porque, se a herança provém da lei, já não provém da promessa; mas Deus pela promessa a deu gratuitamente a Abraão. Logo, para que é a lei? Foi ordenada por causa das transgressões, até que viesse a posteridade a quem a promessa tinha sido feita; e foi posta pelos anjos na mão de um medianeiro. Ora, o medianeiro não o é de um só, mas Deus é um. Logo, a lei é contra as promessas de Deus? De nenhuma sorte; porque, se fosse dada uma lei que pudesse vivificar, a justiça, na verdade, teria sido pela lei. Mas a Escritura encerrou tudo debaixo do pecado, para que a promessa pela fé em Jesus Cristo fosse dada aos crentes. Mas, antes que a fé viesse, estávamos guardados debaixo da lei, e encerrados para aquela fé que se havia de manifestar. De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados. Mas, depois que veio a fé, já não estamos debaixo de aio. Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus. Porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo. Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus. E, se sois de Cristo, então sois descendência de Abraão, e herdeiros conforme a promessa. Gálatas 3:18-29”.

    As leis de Deus continuam valendo, obviamente que em relação aos atos sacrificiais não precisamos mais, pois Jesus Cumpriu em si mesmo. Hoje não sacrificamos mais animais para purificação dos nossos pecados, nem guardamos sábados ou luas novas. Mas continuamos sendo obrigados a não cobiçar nada que seja do próximo, a não matar, a não roubar, entre outros. Jesus resumiu todos os seus mandamentos em um só: “Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis. Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros. João 13:34,35”.

    Precisamos nos manter na sã doutrina de fato, até que Nosso Jesus venha buscar sua Igreja.
    Em momento algum foi dado ao homem autoridade para mudar, reformar ou adaptar nada do que foi deixado como doutrina para que seja obedecido.
    Hoje conhecemos muitas denominações que se declaram reformadas, ou seja, atualizadas no que se refere às questões doutrinárias. Seus líderes em suas declarações colocam a maioria do que nos foi deixado por Jesus e pregados pelos seus apóstolos, como sendo assuntos culturais, que não se aplicam aos nossos dias, porém tais atitudes surgiram dos corações dos homens para agradar homens. Não estão em conformidade com as escrituras sagradas.
    Aos seguidores do Senhor Jesus é dito: “E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará. Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo. E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim. Mateus 24:12-14”.  Perseverar significa se manter firme, e não vale ter firmeza apenas por um tempo, mas sim até o fim. A perseverança e firmeza que precisamos ter é nas instruções, nos ensinamentos, enfim nas doutrinas que Jesus deixou para seguirmos, caso contrário não poderemos contar com a salvação. 

    Aprender e perseverar na sã doutrina, vejamos as referências:
    Isaías 29:23,24: “Mas quando ele vir seus filhos, obra das minhas mãos no meio dele, santificarão o meu nome; sim, santificarão ao Santo de Jacó, e temerão ao Deus de Israel. E os errados de espírito virão a ter entendimento, e os murmuradores aprenderão doutrina. “.
    Mateus 22:32,33: “Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó? Ora, Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos. E, as turbas, ouvindo isto, ficaram maravilhadas da sua doutrina. “.
    Lucas 4:31,32: “E desceu a Cafarnaum, cidade da Galiléia, e os ensinava nos sábados. E admiravam a sua doutrina porque a sua palavra era com autoridade”.
    Tito 2:1: “Tu, porém, fala o que convém à sã doutrina”.
    1 Timóteo 6:3-5: “Se alguém ensina alguma outra doutrina, e se não conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, e com a doutrina que é segundo a piedade, É soberbo, e nada sabe, mas delira acerca de questões e contendas de palavras, das quais nascem invejas, porfias, blasfêmias, ruins suspeitas, Perversas contendas de homens corruptos de entendimento, e privados da verdade, cuidando que a piedade seja causa de ganho; aparta-te dos tais.”.

 

Falando Sobre Restauração: 

1). Nas restaurações não há nenhuma semelhança com a forma que são feitas as reformas, pois o principal objetivo de uma restauração em manter os aspectos originais, tomando todo cuidado para não ser quebrado, destruído ou mudado nada, pois isso é necessário para atingir o objetivo de se manter fiel ao que era antes, e que ninguém perceba que houve qualquer alteração em todos os aspectos na obra ou monumento que passou por tal processo. 

2). As restaurações sempre surgem com o pensamento da necessidade manter uma relação com o passado, com a ideia originalmente criada e passada pelo autor da obra o monumento.

3). As restaurações sempre são feitas com o propósito de manter os valores criados pelo autor da obra ou monumento, sem a preocupação de querer ganhar aceitação das pessoas, daquelas que repudiam o que consideram coisas velhas e do passado, que não conseguem ver o real valor deixado, mas sim em conservar o legado.

4). As restaurações são consideradas bem-sucedidas quando o observador que conhecia o monumento, a obra antes da deterioração, é remetido ao passado toda vez que se deparar com a obra ou monumento que passou pelo processo de restauração.  

Você sabia que Deus prometeu e tem trazido até nós o tempo da restauração da sua igreja?
Veja Pedro dizendo sobre esse tempo: “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor, E envie ele a Jesus Cristo, que já dantes vos foi pregado.  O qual convém que o céu contenha até aos tempos da restauração de tudo, dos quais Deus falou pela boca de todos os seus santos profetas, desde o princípio. Porque Moisés disse aos pais: O Senhor vosso Deus levantará de entre vossos irmãos um profeta semelhante a mim; a ele ouvireis em tudo quanto vos disser. E acontecerá que toda a alma que não escutar esse profeta será exterminada dentre o povo. Sim, e todos os profetas, desde Samuel, todos quantos depois falaram, também predisseram estes dias. Atos 3:19-24”.
Bem este é um tempo totalmente diferente, e o processo não pode ser feito como as reformas das casas terrenas. Como dito anteriormente na reforma de uma casa terrena, uma vez tendo definido como ficará após o processo, as ferramentas inicialmente mais utilizadas são a marreta e o martelo. No entanto nós povo de Deus somos suas casas espirituais, e Nosso Restaurador tem chegado até nós com todo cuidado, nos movendo pelo seu Santo Espírito, e nos impulsionando a voltar ao primeiro amor, à cumprir tudo o que foi deixado para trás pelos causadores de reformas do passado, e levantar a bandeira e falar com autoridade sobre a necessidade de se obedecer a sã doutrina que foi deixada por ele, e nos foi passada pelos seus apóstolos.
O Dono da Obra já está agindo, em João 10:7 é reforçando que ele é a porta das ovelhas, ou seja o único caminho garantido para salvação,  e que se trata de uma porta estreita. E em João 10:1 deixa claro que todos aqueles que vão por outro caminho, por outra parte e não entram pela porta, são ladrões e salteadores, não são pastores.
Consegue entender porque muitos só se preocupam com o que o povo contribui financeiramente e não focam na necessidade de arrependimento e conversão?
Mas todos aqueles que entram pela porta, são pastores de fato. Estes são os que pregam a verdade, pois não negociam o evangelho, não se preocupam com a satisfação própria, mas sim em pregar a santidade e a necessidade de arrependimento e voltar à prática da sã doutrina.
Não se engane com caminhos alternativos, que não o constrange à obedecer as verdades de Jesus, esses caminhos conduzem a condenação.

Conclusão:
Um fundamento frágil, adulterado, que levará muitos para a condenação eterna:

A grande maioria dos que hoje vemos se autoproclamarem cristãos, fazem parte de denominações que estão sustentadas em ideias criadas e inventadas a partir das muitas reformas que surgiram ao longo do tempo, não nos ensinamentos, ou seja nas doutrinas deixadas por Jesus através de seus apóstolos. A Igreja de Deus deve estar fundamenta e perseverar na doutrina dos apóstolos, assim como ela foi criada. Leia Atos 2:42. 

Abandono e manipulação da sã doutrina, ignorando as instruções originais:

Fazendo um comparativo com as santas Escrituras, podemos afirmar que as denominações surgidas com ou depois das chamadas reformas, deixaram para trás tudo que consideraram desnecessário, arcaico, e isso faz que elas não tenham nenhuma identidade, nenhuma semelhança com a Igreja instituída por aquele que veio a este mundo e derramou seu sangue puro, como cordeiro mudo para salvar os que se haviam perdido e restaurar o altar de adoração a ele mesmo, Jesus Cristo.

A doutrina da trindade foi uma invenção aceita por Constantino, o qual mandava matar os que se opunham a esta ideia, mas as denominações aceitaram e lutam sempre contra os que defendem a Palavra de Deus, perseguindo quem afirma a existência de um Único e Verdadeiro Deus e a Vida Eterna, Jesus Cristo, o Verbo que se fez carne.
O Batismo em Nome de Jesus, único realizado pelos apóstolos de Jesus Cristo foi substituído pelo uso de títulos instituídos pela doutrina da trindade, contrariando a Escrituras Sagradas, a qual afirma em atos 4:12 que em nenhum outro nome há salvação, e todos os batismos realizados pelos apóstolos.

Para contrariar a doutrina do uso do véu para orar e profetizar, são usados vários argumentos, desde que se tratava de uma questão cultural, até que eram as prostitutas que usavam para haver uma diferença, pois segundo as alegações as mesmas vinham com o cabelo raspado quando se convertiam, mas o uso era deixado para trás quando os cabelos cresciam. Tais alegações não tem respaldo bíblico, pois em 1 Coríntios 11:5 é dito: toda a mulher que ora ou profetiza sem o véu, ou seja, com a cabeça descoberta, desonra a própria cabeça, se foi dito toda a mulher, não se aplica apenas às prostitutas convertidas, mas para todas, concorda?

Vestes descentes e distinção entre roupas de mulheres e homens, este outro ponto crítico, pois nas denominações diversas não há qualquer preocupação em haver decência nas vestimentas tanto dos homens quanto das mulheres, algumas fazem de conta fazem de conta que há distinção de trajes entre mulheres e homens, no entanto as mulheres se vestem com suas mini saias e afirmam que saia cumprida não salva ninguém, bem aí cabe uma observação, se saia cumprida onde deveria haver decência não salva, a curta menos ainda. Mas o problema vai além disso, a sensualidade está em todos, tanto nas mulheres com suas saias, seus decotes e calças apertadas, bem como nos homens que vestem camisas e calças de igual modo. Tais atitudes vão contra as escrituras, na qual é explícito sobre a lascívia: “Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, fornicação, impureza, lascívia, Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus. Gálatas 5:19-21”.
Ceia do Senhor e lava pés, para celebração da ceia, muitos pensam estar indo além do que está escrito, com a falsa pretensão de desejarem mais santidade. A Palavra de Deus manda que a celebração da ceia seja anual, e que sejam usados pão ázimo e vinho puro, e que seja complementada pelo lava pés. O que as denominações fazem é só uma ideia de quererem ir além, pois não a celebram a ceia anualmente, nem usam os elementos necessários, algumas praticam, mensal e outros trimestral, com a alegação de que a ceia os forçam a se santificar, é evidente essa mentira, a julgar pela forma que se apresentam. Na verdade, veem na ceia uma oportunidade de festa para poder pedir mais ofertas, mais dinheiro, esta é a prática de muitos, pois sabem que neste dia a congregação costuma ficar cheia. Na ceia delas usa-se biscoito, rosca doce, bolachinha maria, pão da padaria para representar o corpo de Jesus Cristo, e “vinho” com adição de álcool, ou até suco de uva. Muitas outras abominações fazem parte das celebrações delas. Em resumo, não há qualquer respeito com que deve simbolizar o corpo e o sangue de Jesus Cristo, nem com o ato cerimonial em si, pois em algumas usam até danças no pacote de heresias.

Resumidamente falando, a Restauração da Igreja consiste na obediência de todas as doutrinas apostólicas, sem querer arrumar subterfúgios, formas ou caminhos alternativos, ou pretextos para andar na contração dos ensinos que exigem santidade e garantem a salvação.

Agradecimento:
Agradeço a você por chegar até aqui, que Nosso Senhor Jesus possa falar grandemente ao seu coração, e você também possa ser um instrumento de proclamação do Evangelho Genuíno, fazendo muitas almas serem alcançadas para salvação.

Referências:

Bíblia

https://www.luteranos.com.br/lutero/95_teses.html
http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2017/10/igrejas-comemoram-500-anos-da-reforma-protestante.html.
https://ensinarhistoriajoelza.com.br/10-fatos-sobre-martinho-lutero
https://www.vitoriaemcristo.org/noticia/346/a-reforma-protestante-e-os-beneficios-para-a-sociedade

 

 

 

Igrejas que Militam na Obra em Restauração 2021 - Todos os Direitos Reservados